No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.

Policial

Mulheres vítimas de violência podem fazer denúncias pelo WhatsApp

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, promulgou a Lei 11.809/2020, de autoria da deputada Camila Toscano (PSDB), que institui o serviço de denúncia de violência contra a mulher via número do aplicativo “WhatsApp” no Estado. O Ato foi publicado na edição desta sexta-feira (4) do Diário Oficial do Estado (DOE).

Esse serviço, de acordo com a lei, não estará disponível para receber ligações, apenas para receber mensagens, vídeos e fotos referentes à denúncia. A identidade do denunciante deve ser mantida em sigilo e as denúncias feitas por meio do WhatsApp deverão ter prioridade de atendimento durante períodos de pandemia, em que sejam necessários o distanciamento ou o isolamento social e as famílias devam permanecer maior tempo em suas residências.

Na justificativa da Lei, a deputada lembra que a maioria da população faz uso de aparelhos celulares, especialmente do aplicativo WhatsApp. Essa tecnologia, segundo ela, amplia os meios para a mulher vítima de violência poder formular a denúncia às autoridades policiais e judiciais.

Camila Toscano explica ainda que o Poder Executivo também poderá celebrar convênios, a fim de instituir políticas conjuntas para apurar as denúncias de violência contra a mulher e encaminhar estas denúncias aos órgãos competentes, tendo em vista a existência de redes de atenção locais e regionais.

Ela acrescenta que muitas mulheres deixam de fazer a denúncia por não ter como sair de casa, “por não querer se expor, por se sentir envergonhada com a situação e por outros tantos motivos”. “São crimes constantes que precisam ser registrados e apurados. No entanto, em tempos de pandemia – onde o distanciamento e isolamento social são ações concretas sugeridas para evitar a proliferação dos agentes de contaminação – a denúncia passa a ser um obstáculo ainda maior”, observou.

Destacando ao aumento crescente dos casos de violência contra a mulher durante a pandemia, a deputada sustenta que a existência de um número de WhatsApp como canal de denúncias, garantirá, acima de tudo, que a denúncia não seja percebida pelo agressor, “possibilitando o atendimento da ocorrência pelos órgãos competentes, da mesma forma que qualquer outra pessoa, que resida na mesma casa ou na vizinhança, poderá utilizar-se desse meio para efetuar a denúncia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Botão Voltar ao topo