Senador acredita que águas do São Francisco chegam ao Epitácio Pessoa

Até 2017, mais de 100, dos 223 municípios da Paraíba, serão beneficiados com as águas advindas do Rio São Francisco. A garantia foi dada pelo Presidente da Comissão de Acompanhamento das Obras de Transposição do Rio São Francisco, senador Raimundo Lira (PMDB-PB).

Na semana passada, ele visitou o canteiro de obras da transposição em São José de Piranhas-PB, no Eixo Norte (Túneis Cuncas I e II), na companhia do Ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e de outros senadores e deputados. Lira constatou que a obra segue em ritmo acelerado e deve ficar pronta no prazo previsto.

“Até dezembro de 2016, e no mais tardar no primeiro trimestre de 2017, as águas do São Francisco estarão inundando a barragem do Epitácio Pessoa, e chegando na barragem de Caiçara, no município de Cajazeiras” garantiu Raimundo Lira.

Ele disse que ficou impressionado com o avanço das obras em terras paraibanas, e que o sonho de mais de 12 milhões de nordestinos está prestes de ser realizado. Segundo Lira, mais de 10 mil homens e cerca de 3 mil máquinas estão trabalhando em ritmo acelerado para deixar pronta a obra, que é apontada como redenção do Nordeste.

Segundo observou o senador Lira, há trechos em que as obras já passaram de 95% de execução e, no geral, a média de execução dos serviços é de 76%. “É a maior obra hídrica do Brasil, e não vai faltar dinheiro para a sua conclusão, mesmo no ano de crise, conforme a garantia dada pelo próprio Ministro da Integração” disse.

Raimundo Lira garantiu que dos quatro Estados do Nordeste que receberão águas do Velho Chico, a Paraíba será o que terá o maior número de cidades beneficiadas. Segundo ele, no caso do Eixo Leste, a água chegará em Monteiro e, de lá, seguirá para o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, assegurando, assim, o abastecimento de mais de 1 milhão de paraibanos.

Lira reafirmou sua defesa pela construção do sistema adutor Piancó, no Eixo Norte da obra. Para Lira, a iniciativa é fundamental para garantir a capacidade de armazenamento do sistema de reservatórios Coremas/Mãe D’água. “A transposição é uma realidade e vai ser a grande solução hídrica para a Paraíba e para o Nordeste” afirmou.

A obra vai atender as necessidades da maior barragem da Paraíba, que é o sistema Coremas/Mãe D’água, com capacidade de 1,1 bilhão de metros cúbicos de água, onde o excesso de água vai descer pelo rio Piranhas e, ao chegar no Rio Grande do Norte, chegará no rio Assú, maior reservatório do vizinho estado, com capacidade de 2 bilhões de metros cúbicos. “Portanto, esse ramal atende não só a Paraíba, mas também nosso Estado vizinho”, justificou o senador paraibano, sobre a relevância do Ramal Piancó.

A obra da transposição tem investimento de R$ 8,2 bilhões e, de acordo com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, o projeto tem extensão total de 469 quilômetros e a estimativa é de que 11,6 milhões de pessoas sejam atendidas, com fornecimento de água para cidades do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

A Paraíba está contemplada com dois eixos da transposição e busca garantir uma terceira rota da obra no Estado, que é o Ramal Piancó.

^ Ir Para Topo ^