No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.

Cotidiano

Prefeitura de realiza reunião com produtores de eventos

A Prefeitura de Campina Grande realizou uma reunião com os produtores de eventos na cidade para esclarecer sobre as mudanças na permissão para a realização dos eventos. A reunião aconteceu em uma casa de recepções no bairro Itararé.

Nesta semana, em conformidade com uma orientação do Ministério Público da Paraíba e do Ministério Público Federal, o prefeito Romero Rodrigues revogou a decisão que permitia a realização dos eventos com até 300 pessoas. Com isso, passa a valer a decisão anterior que autoriza as realizações com até 100 participantes.

Porém, na reunião desta quarta-feira, a Prefeitura informou aos produtores que levará aos Ministérios Públicos a proposta para que os eventos sociais, como casamentos e formaturas, possam ser realizados com até 300 pessoas. No entanto, deverão ser obedecidos todos os critérios sanitários e utilizando, no máximo, 50% da capacidade do espaço para cumprir a exigência do distanciamento social.

A decisão também se estenderia aos eventos realizados em espaços como teatros, já que nestes locais há maior possibilidade de se cumprir as regras sanitárias. Contudo, as festas abertas ao público, como os shows, ficam restritas ao público máximo de 100 pessoas. Outro esclarecimento prestado foi o de que esse limite se aplica ao público, excetuando dessa quantidade as pessoas que trabalham em tais eventos.

“Nós entendemos a situação de todos aqueles que trabalham com eventos e, desde o início do enfrentamento à pandemia, estamos buscando alternativas para diminuir os impactos para o setor. E parabenizamos os produtores porque verificamos que, no caso dos eventos sociais, os protocolos estão sendo cumpridos rigorosamente”, explicou o secretário municipal de Saúde, Filipe Reul.

“A regra diferenciada para shows e para os eventos, como casamentos, formaturas e espetáculos de teatro, será estabelecida entendendo que os eventos sociais são mais fáceis de serem controlados, enquanto que as festas não têm como atender aos protocolos com públicos maiores que 100 pessoas”, explicou o diretor de Vigilância em Saúde, Miguel Dantas.

A medida busca atender, principalmente, os eventos que já estavam previamente agendados. Os produtores de eventos ficam condicionados a apresentarem protocolos de contingência dos eventos junto à Gerência de Vigilância Sanitária (GEVISA), sob pena de multa em caso de descumprimento. A fiscalização também será reforçada e estendida a todos esses eventos. Havendo consonância da proposta com os MPs, a decisão será publicada ainda nesta quarta.

“Precisa ficar bem claro que nós não estamos autorizando a realização normalmente. Estamos nos sensibilizando com os eventos já marcados e dando uma autorização para a realização com até 300 pessoas, desde que os protocolos sejam cumpridos. É uma responsabilidade muito grande dos produtores. Havendo descumprimento, nós voltaremos atrás”, explicou o infectologista e consultor Rodolpho Dantas.

A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Rosália Lucas, destacou os esforços da Prefeitura para atender às demandas da categoria. “Campina Grande foi a primeira cidade da Paraíba a autorizar a realização de eventos. Mas, nesse momento, temos que regulamentar melhor essa permissão para não termos um aumento exponencial dos casos da Covid-19 e termos que voltar várias etapas atrás”, disse Rosália.

As medidas estão sendo tomadas preventivamente para evitar um novo pico da pandemia na cidade. Apesar do controle na taxa de ocupação dos leitos, a Secretaria Municipal de Saúde tem observado um aumento no número de novos casos. “É o momento de máxima atenção com a realização dos eventos, porque estamos num momento crucial e, somente com a imunização da população poderemos voltar a permitir os eventos normalmente. Mas, por enquanto, não podemos colocar em risco tudo o que conseguimos conquistar no enfrentamento à pandemia. Então, não podemos arriscar a saúde da coletividade”, finalizou Filipe Reul.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Botão Voltar ao topo