No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.

Brasil

Programa capacitará mais de 380 mil agentes comunitários

Trezentos e oitenta e um mil agentes comunitários serão capacitados em todo o Brasil. É o que prevê o programa Saúde com Agente, lançado no Palácio do Planalto. A cerimônia contou com as presenças do Presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Agora, os profissionais da área passarão por cursos que permitirão maior e melhor atuação na Atenção Primária. Serão investidos mais de R$ 300 milhões no programa e R$ 4,8 bilhões para o pagamento do salário dos agentes.

A ideia é que, após a formação, os agentes comunitários assumam mais funções no atendimento à população. Além de ensinar, por exemplo a fazer soro caseiro e a matar mosquitos, irão, também, levar informações sobre doenças e saúde.

“Estamos criando um curso de formação ímpar na história do Brasil e do mundo, planejado para ser executado em 35 semanas, que certificará com novas competências e habilidades 381 mil agentes de saúde espalhados por todo o Brasil. Esse contingente consegue chegar em cada comunidade, em cada município brasileiro”, afirmou a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro.

Segundo a secretária, esses agentes serão capacitados para atuar nas linhas do ciclo de vida e vão, por exemplo, avaliar a saúde bucal e o crescimento das crianças, além de orientar sobre a caderneta de vacinação. As mulheres e os homens em idade reprodutiva, os idosos e os doentes crônicos, com diabetes e hipertensão também receberão, a partir de agora, atenção especial desses profissionais.

“O que se espera desse curso é que em pouco tempo nós tenhamos uma redução dramática dos indicadores hoje negativos da Atenção Primária de Saúde”, acrescentou Mayra Pinheiro.

Segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o Programa Saúde com Agente ajudará, sobretudo, a reduzir os custos do Sistema Único de Saúde (SUS) e as filas de espera nos hospitais e postos de saúde de todo o país.

“Esse programa visa a ter precocidade na descoberta de doenças, doenças que podem ser tratadas rapidamente e que evitam que elas se agravem. Essa foi a grande lógica desse programa”, ressaltou.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

Botão Voltar ao topo